quinta-feira, 14 de julho de 2016

Leo .


.



Todo mundo tem seus queridinhos, nomes clássicos, de determinada língua, duplos... Eu sou apaixonada pelos curtos. Mais ainda pelos de 3 letras. Eles tem força, presença, e ainda parecem brincar com nossos sentidos. Assim é Leo, um nome que parece carregar uma força hercúlea.

Ainda que no Brasil tenha-se o costume de usar Leo como apelido de outros nomes maiores, como Leonardo, Leônidas, Leonora, Leona, e cause certa estranheza como nome próprio, vem sendo usado, ainda que timidamente. Em São Paulo, no ano de 2014, foram registrados 37 Leo, em 2015 39 Leo e 40 Léo.

“Só Leo?”, “Leonardo é um lindo nome!”, “Se vai só chamar de Leo, é melhor registrar assim mesmo”, são provavelmente as frases mais comuns que alguém que dê esse nome ao filho escutará. E provavelmente que o próprio Leo também. É algo comum a todos os curtinhos e curtíssimos que são usados comumente como apelidos. É um motivo para se deixar de usar um nome? Logicamente que não. Mas é importante estar preparado para a estranheza, que logo passa.

O significado, puro e direto, compreensível por falantes de línguas latinas e também do norte da Europa, é um grande atrativo. Leão, do grego leo, é um literal que agrada pela força inerente do animal, além de sua grande beleza e vigorosidade. E, sendo o rei dos animais, é representado em várias esferas, das artes à astrologia, da religião à mitologia.

Para quem procura um nome internacional, de fácil escrita e entendimento, Leo pode ser uma escolha interessante. Ao contrário do Brasil, em muitos países é um nome queridinho, e até bastante popular. Na França Léo está em 13°, na Alemanha Leo se encontra em 16°, na Austrália é o 35°, Canádá 29°, Inglaterra 15°, EUA 68 ° (dados retirados dos sites do Baby Center de cada país). Sendo comum e bastante aceito em diversos outros países da comunidade européia. Por outro lado, aqui sendo um nome bastante incomum, é ótimo para quem quer fugir das obviedades do top dos nomes registrados.

Mas e porquê esse amor por Leo na Europa e em países de língua inglesa? Temos apenas palpites, além da internacionalidade e escrita simples, existem hoje dois expoentes, no cinema e no futebol, que apesar de não se chamarem propriamente Leo, assim são conhecidos: Leonardo DiCaprio (e agora com o Oscar 2015, será que o nome sobe mais?) e Lionel Messi, jogador argentino do Barcelona da Espanha, ganhador de 4 Bolas de Ouro (2010, 2011, 2012, 2015) e agraciado com o reconhecimento de melhor jogador de futebol do mundo por enúmeras revistas e premiações.Um grande ator e um grande futebolista com certeza alçam um nome ao topo.

Não são muitos aqueles verdadeiramente nomeados de Leo. Em algumas línguas assim chamam Leon Tolstoi, Leon que no caso é também uma tradução, seu nome original é Liev. Mas para os amantes de literatura dos países em que traduziram por Leo é um chamariz enorme. E além de Leonardo DiCaprio e Lionel Messi temos também

Leo Esaki, Nobel de Física de 1973 (Reona Esaki no original japonês)
Leo Fender, construtor de guitarras estadunidense (Clarence Leonidas Fender)
Leo Cavalcanti, cantor, compositor e arrajador brasileiro
Leo, da dupla sertaneja brasileira Victor e Leo (Leonardo Chaves Pimentel)
Léo Santana, cantor e compositor brasileiro (Leandro Silva de Santana)
Na tradição católica temos 13 Papas Leo, em português chamados de Leão.

Leo ou Léo? Qual o correto em português? Leo. Sendo uma paroxítona terminada em “o”, não é acentuada. Na lista da IRN, Instituto dos Registros e do Notariado de Portugal, que conta com uma lista restrita, com pouquíssimos nomes liberados para registro que não estão em português, a única versão permitida é Leo. A língua que acentua é o Francês, lá é Léo. É errado grafar Léo? Não, só não está em português.





.