terça-feira, 12 de julho de 2016

Jurecê




Jurecê, no Blog Caboclos da Umbanda, aponta-se como um nome indígena de origem tupi-guarani predominantemente feminino que significa “Aquela que faz o bem”. Já no Dicionário de Nomes Próprios, achei “Aquele que fala o bem” e apontado como nome predominantemente masculino.

Entretanto, as pessoas que achei na Internet, tanto Google como Facebook e outros mecanismos de pesquisa, são absolutamente todos homens, pelo menos biologicamente falando. Daí, passo a acreditar que Jurecê seja realmente masculino, e também soa como tal, mesmo com as iniciais de “Jurema” ele tem a terminação de “Cauê”. Jurecê também lembra, remotamente, Juarez.

Bem, exceto por uma psicóloga que encontrei, chamada Jurecê Curupaná, que aparentemente, atende em Santa Catarina, e que aparentemente, se trata de uma mulher. O que mostra, como em outros posts indígenas abordados aqui, o quanto o nome indígena pode ser ambíguo em relação à gêneros conforme a interpretação de quem o ouve.

Existe, no interior de São Paulo, um distrito chamado Jurucê, cuja etimologia descrita é que significa “boca doce”. A ligação entre uma “boca doce” e uma “boca que fala o bem”, é bem próxima, por isso acredito que ambas as grafias referem-se a modos diferentes de escrever a mesma palavra.


Na lista da Arpen/SP de 2015 e 2014 não consta nenhum registro de Jurecê. Esse é um daqueles nomes indígenas que poucas pessoas conhecem e estão habituadas. O nome mais próximo registrado em São Paulo foi Jurema. 

No Brasil inteiro, de acordo com o IBGE (Nomes no Brasil, Censo 2010), Jurecê tem 28 pessoas do sexo feminino chamadas assim, além de 12 do sexo masculino. São 40 pessoas no total, o que o torna extremamente raro. 



.