quinta-feira, 9 de junho de 2016

Glauco & Gláucio




Glauco é a forma espanhola, italiana e portuguesa de Glaucus, que seria a forma latinizada do grego (Glaukos), um nome que significa "cinza azulado" ou "verde azulado". Esse termo era usado para designar a cor do mar, e usado por Homero para definir o próprio mar. Mais tarde, outros escritores deram o sentido de verde ou cinza azulado, em referência às folhas da oliveira e da cor dos olhos. Precisamente por causa dos seus olhos brilhantes, o nome grego da coruja foi Glaux.

Um dos epítetos da Atena é "Glaukopis", significando olhos brilhantes. Etimologicamente, esta palavra deriva de "Glaucos", significando brilhante e "Ops", que significa olho. É digno de nota que a palavra "Glaux" (coruja) tem a mesma raiz, aparentemente devido aos olhos exclusivos do pássaro. Então, o pássaro que vê na escuridão está intimamente associado à Atena, a deusa da sabedoria.

O feminino usual desse nome é Glauce. Este era o nome de um deus grego do mar, assim como outros personagens na lenda grega. Glauco era uma divindade marinha cujas origens variam em diferentes fontes. Na peça “Orestes”, de Euripedes, Glauco seria filho de Nereu, tendo ajudado Menelau e os Argonautas em suas jornadas.

Glauco teria se apaixonado por Cila (Scylla), uma bela ninfa, mas não foi correspondido, pois a ninfa sempre se afastava dele, assustada com sua aparência. Ele procura Circe, a feiticeira, para conseguir uma poção que fizesse Cila amá-lo. Mas Circe, apaixonada por ele, transforma Cila em um monstro com doze pés e seis cabeças.

O nome Glauco foi levado por vários personagens da mitologia grega, além do deus do mar. Podemos citar alguns: Glauco de Creta, filho de Minos e Pasífae, morreu afogado num pote de mel e foi ressuscitado por Poliido que o esfregou com certas ervas raras; Glauco, rei de Corinto, era filho de Sísifo e Merope, e pai de Belerofonte; Glauco, filho de Hipóloco, era um dos melhores guerreiros dentre os lícios, e lutava sempre ao lado de Sarpedão, rei dos lícios e filho de Zeus. Depois da morte deste, passou a comandar as hostes lícias, até a derrota final de Troia; Glauco, rei da Messênia, neto de Cresfontes e descendente de Héracles.

Os portugueses então formaram o nome Gláucio a partir do nome Glauco, e também o nome romano Glaucia, com a mesma origem. Esta versão foi influenciada pelas variantes femininas do latim Glaucia, ou Glauciae.

Algumas referências:

Glauco Cataldo, compositor, professor e escritor italiano;
Glauco Della Porta, economista e político italiano;
Glauco di Locri, escritor da Grécia Antiga;
Glauco di Salle, dramaturgo e comediante italiano;
Glauco Mauri, ator, dublador e diretor italiano;
Glauco Onorato, ator e dublador italiano;
Glauco Rossi, pintor italiano;
Glauco Venier, pianista e compositor italiano;
Glauco, cartunista brasileiro
Glauco Mattoso, escritor brasileiro





.