quinta-feira, 23 de junho de 2016

Betânia




Betânia é um nome que – pelo menos no Brasil – está muito ligado à imagem da cantora Maria Betânia, famosa por seus sucessos integrantes do estilo MPB. Apesar da popularidade da cantora, isso parece ter contribuído para rejeitar o nome, não para potencializar seu numero de registros, pois com toda certeza Betânia nunca foi popular no Brasil, sendo usado apenas esporadicamente e em casos isolados. No estado de São Paulo, em 2015 (Arpen/SP) foram registradas apenas 3 meninas chamadas assim, além de 7 Bethania, 4 Bethânia e 1 Bethanya.

Betânia origina-se a partir do nome de uma cidade bíblica, possivelmente derivado do hebraico בֵּית-תְּאֵנָה (Beit-te'enah), que significa "casa de figos". No Novo Testamento, na cidade de Betânia ficava a casa de Lázaro e suas irmãs Maria e Marta.

Ele tem sido usado como um nome raro no mundo de fala inglesa desde o século 19, frequente principalmente entre católicos em honra à Maria de Betânia. Na América tornou-se moderadamente comum após a década de 1950. A cidade bíblica está atualmente situada na Turquia, em uma aldeia chamada El-Asarije (também chamada de Azariyeh ou Lazariyeh, traduzido como “lugar de Lázaro”, na atual Cisjordânia ocupada, onde se encontra a tumba de Lázaro.

Betânia é mencionada diversas vezes (doze, mais exactamente) na Bíblia, como um local visitado por Jesus Cristo. Seu nome foi dado a diversas outras localidades em todo o mundo, de acordo com as variantes em cada idioma. Nos Estados Unidos por exemplo, várias cidades têm o nome de Bethany. No Brasil temos um município chamado Betânia em Pernambuco e, na América, um município na Colômbia.

No livro sagrado dos judeus, Talmude, o nome Betânia é traduzido por “casa das tâmaras verdes” em razão das tameiras existentes na região e também pode ser considerado como um dos seus significados.

Betânia é um nome raro, com significado legal e importantes conexões tanto históricas quanto geográficas. Abstraindo mais, também tem conexões religiosas. Tem uma sonoridade agradável, uma grafia bonita, e é bem semelhante à Tânia que foi muito popular nos anos 60/70, sendo assim, não deve causar maiores estranhamentos. O composto Maria Betânia também não deve ser descartado, uma vez que é uma composição com o clássico Maria que foge totalmente do óbvio.



.