quarta-feira, 22 de junho de 2016

Aslan

.

Para quem leu Crônicas de Nárnia ou pelo menos assistiu os filmes, é inevitável não pensar no leão. E bem, parece que C.S. Lewis pesquisou muito bem para escolher o nome do animal – que na trama, seria o equivalente a Jesus Cristo – pois é, afinal, um nome de origem turca e significa realmente “leão”.

Além disso, foi um nome muito usado por governantes medievais turcos, e um deles foi o sultão Seljuk Alp Aslan, que dirigiu os bizantinos da Anatólia, no século XI. Mas foi ficar conhecido internacionalmente só mesmo a partir do personagem de Lewis.

Não é um nome, portanto, que seja estranho aos ouvidos dos brasileiros, mas é raríssimo de ser encontrado nomeando pessoas. Em São Paulo, de acordo com a lista da Arpen/SP, foram registrados 9 meninos chamados Aslan (o que, considerando o contexto, é um número expressivo).

Aslan é um nome parecido com vários outros que são usados com regularidade, como Alan, Brian, Rian, por exemplo. Porém, tem o benefício da originalidade e singularidade, além disso, o bônus de um excelente significado. Além disso, é um nome muito mais másculo, sério e superior aos três citados.

O olhar para o significado dele, “leão”, pode aproximar quem gosta de nomes hippies, ligados à natureza, mais alternativos, e pode ser combinado ainda com outros nomes que significam leão, fazendo aqueles conjuntos de nomes temáticos (como Leon, Leonel, Leonardo). Uma variante turca é Arslan, porém, esse “r” a mais é totalmente desnecessário se formos considerar o uso na língua portuguesa.

Um portador conhecido com este nome é Aslan Maskhadov, um ex-presidente da República da Chechênia.



.