terça-feira, 31 de maio de 2016

Iacina & Yacina




Iacina é um nome indígena, de origem tupi-guarani predominantemente feminino, que presumivelmente significa “borboleta com asas douradas”.

Não é um nome que tenha registros recentes nas listas disponíveis, e por nunca ter sido comum, é difícil também de encontrar referências, exceto perfis no facebook e outras redes sociais.

Quando se trata de nomes indígenas, esbarramos na pouca fidelidade das fontes da Internet e na dificuldade de encontrar nomes nas raríssimas publicações de linguista que tratam deste assunto.

A grande maioria dos nomes que encontramos como origem indígena (na maioria deles, tupi), pode muito bem estar relacionada a uma etimologia falsa: é fácil inventar um nome indígena com a terminação “ira” ou “ara”, dizer que é indígena e criar qualquer significado que agrade aos possíveis pais sedentos por um nome com significado fofo e simbologia indígena para seus filhos.

É possível citar dois exemplos bem recorrentes disso: Iracema, a virgem dos lábios de mel, do clássico romance de José de Alencar, não é um nome indígena: é sim, um anagrama de América, criado pelo autor para parecer indígena. Ele foi feliz na sua criação: O elemento tupi “ira” geralmente está relacionado a mel, e a terminação -ema é encontrada no recorrente nome indígena Moema, ou ainda, em Apoema.

No outro exemplo, os roteiristas responsáveis, na ocasião da minissérie A Muralha (baseado no livro de Dinah Siqueira de Queiroz) inventaram o nome Moatira para o papel interpretado por Maria Maya. O nome não é indígena e não existe, mas ficou bem "apresentável' como indígena.

Então, como nomes indígenas fazem parte de dois grupos distintos – aqueles que são usados e conhecidos pela ampla maioria dos brasileiros e aqueles que são raros, exóticos e desconhecidos de todos, aqueles que fazem parte do segundo grupo acabam sendo difíceis de dissertar sobre. Iacina é um deles.

O significado, se verdadeiro, é um dos mais poéticos que já vi, além disso, muito ligado com a natureza e com a beleza dela. Mas não sabemos se é verdadeiro, infelizmente. Supomos também que a variante Yacina seja também correta, uma vez que muitos nomes indígenas são grafados com Y.

As iniciais do nome são encontrados em Yara, por exemplo, e a terminação é bem conhecida de todos, pois está presente em nomes como Marina, Cristina, Valentina.
Iacina é um romance indígena, publicado em 1907, de autoria de Lindolfo Rocha, um escritor e jornalista brasileiro.



.