terça-feira, 10 de maio de 2016

César



Se existe um nome que sobreviveu ao tempo, esse nome é César. Ele é antigo, datando dos primórdios do Império Romano, mas conseguiu se sustentar como nome contemporâneo e moderno, até os dias de hoje. Isso não é qualquer coisa, é uma façanha e tanto, já que outros bons nomes desses tempos passados ficaram enterrados na história ou presos em livros. César, com sua imponência e elegância, continua tendo palco nos registros e nos berçários dos dias atuais.

César é um nome sóbrio, formal, sério, que atende perfeitamente os requisitos de um homem maduro e responsável, mas não deixa de ser adequado para uma criança. O nome é uma versão portuguesa do prenome romano Caesar, que significa “cabeleira farta” (ok, não é um dos melhores significados que temos por aí), alguém com muito cabelo, tendo origem na palavra latina para cabelo, caesaries.

Apesar de o significado ser bastante inóspito, as pessoas associam com o Império Romano e não com a origem da palavra. A maior referência para esse nome é o Imperador romano Caius Julius Caesar, membro de uma família romana importante (gens Julia), que acreditavam ser descendentes da própria Vênus.

Júlio César, como conhecemos em português, fez reformas no Império Romano, empreendeu conquistas dentre os povos europeus, e apesar do fim de sua vida ter sido pouco feliz, traído pelos seus senadores e apoiadores, o seu nome foi imortalizado e adotado por outros romanos importantes depois dele. Como por exemplo, o seu filho adotivo, Julius Caesar Octavianus, conhecido como César Augusto.

Muitos estudiosos da antroponímia especulam que o nome Caesar tenha, pela sua grande influência, originado os epítetos Kaiser (adotado pelos imperadores germânicos) e Czar (pelos russos).

César sempre foi um nome presente em todas as gerações, e podemos facilmente encontrar adultos, crianças, jovens e idosos com esse nome nos dias de hoje. Além de ser um nome repleto de muita história, se consagrou como clássico e permaneceu atemporal. Porém, sua popularidade já não é mais a mesma, afinal, foram registrados 45 meninos chamados César em Portugal (2015) e 37 no ano anterior.


No Brasil, a situação é parecida. Nós só temos a lista oficial do estado de São Paulo, então, esses dados são uma amostra do que ocorre no Brasil, e não um ranking completamente confiável, dadas as disparidades culturais de um país do tamanho do nosso. Foram 133 registros de César (Arpen/SP, 2015), e 118 de Cesar, sem a acentuação. Além disso, foram registrados 5 Cézar, com a letra Z no lugar do S, e 19 Cezar, sem o acento.





.