segunda-feira, 23 de maio de 2016

Araciara




Araciara seria um nome indígena de origem tupi-guarani que significa “ave que se alimenta do mel”.

Como a maioria dos nomes indígenas, é complicado encontrar referências dos mesmos. Araciara é um deles, embora uma passada no Google resulte em várias Araciaras do sexo feminino no Brasil, nenhuma notável o suficiente para servir de inspiração para alguém.

Os nomes indígenas podem ser uma ótima inspiração para quem deseja um nome bonito e diferente. Esses nomes indígenas latino-americanos são ótimos para crianças que vem de famílias que procuram reencontrar suas origens, para quem busca nomes originais, afastando-se daqueles nomes tradicionais que representam a cultura branca e europeia.

Inclusive, já houve no Brasil, nas primeiras décadas do século passado, uma iniciativa de nomear bebês nascidos aqui com nomes indígenas, justamente para representar o rompimento com a cultura europeia portuguesa, especialmente nos anos da Primeira República, onde sentimentos de pertencimento e patriotismo eram formados e incentivados no Brasil.

Com o tempo, infelizmente, esse hábito se perdeu e as pessoas passaram a valorizar mais nomes ingleses, associados aos Estados Unidos, a nova potencial mundial, que representava em seus imaginários o que havia de bom e melhor no mundo. Hoje, vivemos em uma nova fase de Brasil, e aquela sensação de inferioridade em relação à outros países, já não mais é tão forte e presente.

Assim, podemos muito bem recuperar nomes indígenas esquecidos, como Araciara. Outros nomes indígenas são mais comuns, como Tainá, Raoni, Cauã, etc., mas o universo de nomes é bem maior, aliás, bem maior do que a gente conhece, uma vez que o campo de estudos “nomes indígenas” ainda é muito fraco no Brasil.

Enquanto nome, Araciara é parecido com Araci, que já foi muito popular no Brasil nas primeiras décadas do século passado, e conservou certa popularidade até a metade do século XX. E a terminação vem com o nome Yara, que também é muito conhecido dos brasileiros. Então, em termos de sonoridade, não é nada estranho aos nossos ouvidos.

Evidentemente, não encontrei nenhum registro de Araciara nas últimas listas de registros disponíveis (Arpen/SP), o que confere originalidade e exclusividade ao pai/mãe que registrar uma menina chamada Araciara hoje em dia. A grafia Aracyara também é correta, já que como indígenas não tinham letras ou alfabetos, muito menos formas de escrita, muitas vezes as palavras indígenas foram representadas com y.




.