quinta-feira, 21 de abril de 2016

Ashley



Ashley vem de um sobrenome inglês que originalmente, deriva de um nome de lugar que significa algo como “floresta em cinzas”, ou “cinza de árvores”, a partir do antigo inglês “aesc” (cinzas) e leigh (prado, clareira na floresta). O significado é, portanto, desanimador. O Behind The Name aponta como variantes Ashlea, Ashlee, Ashleigh, Ashlie, Ashlyn, Ashlynn e Ash como forma masculine.

Como a maioria dos sobrenomes ingleses que foram usados como nomes próprios, Ashley foi originalmente usado para crianças do sexo masculino. Foi usado pela primeira vez como nome próprio por volta do século 16, e manteve-se unicamente masculino por cerca de 350 anos. Ele foi popularizado por Anthony Ashley Cooper, primeiro conde de Shaftesbury, também conhecido como Lord Ashley (1621-1683). Ashleigh e Ashlee eram as grafias mais frequentemente utilizados para o sexo feminino.

Ashley ganhou imensa popularidade como nome feminino, primeiramente nos Estados Unidos, no final do século XX, superando o uso para meninos. Tal como acontece com muitos nomes que atingem a popularidade, uma série de grafias diferentes de Ashley emergiu nos EUA, incluindo Ashley, Ashleigh, Ashlee, Ashlie, Ashlyn, e as variantes de aparência estrangeira, como Ashle (algo pseudo-francês).

Quanto à popularidade, Ashley está presente em rankings de vários países:

Nos Estados Unidos, Ashley consta em 87º lugar em 2014, aparece no ranking feminino desde 1964, antes disso, aparecia majoritariamente no ranking masculino, embora em posições bem desvantajosas; Na Austrália, em 2011, Ashley esteve na 90ª posição com 80 registros, e consta no top 100 desde 2000, quando ocupava a 47ª posição.

Já no Canadá, em 2012, Ashley constava em 99º lugar, e de 1983 a 2000 figurou no top 10, chegando a ficar por alguns anos como 2º colocado entre os nomes femininos mais usados. Na Inglaterra, em 2014, surgia em 295º lugar, aparecendo no ranking feminino desde 1996, mas de 1996 a 2009 também possui representação no ranking masculino.

Na França, está dentro do ranking desde 2000, embora em posições que giram em torno do 400º lugar, de modo que em 2010 estava na posição #306. Já na Holanda e na Nova Zelândia, aparece apenas como nome feminino, sendo que na Holanda encontrava-se no ranking desde 2008 e figurava com o 222º lugar no ano de 2014, e na Nova Zelândia, figura no ranking desde 2004 e em 2012 ficou com a 71ª posição.

Ashley é portanto, um nome extremamente popular em praticamente todo o mundo de fala inglesa, de modo que é muito comum encontrar crianças, jovens e mulheres adultas com esse nome. No Brasil, no ano de 2015, Ashley teve 126 registros, mas é um nome que é adotado no Brasil com uma série de grafias diferenciadas e na maioria dos casos, errada.

Como é um nome estrangeiro, muitas pessoas não sabem como é que se escreve, adotando modos de escrita totalmente errados. Além disso, alguns pais desejam que o nome seja pronunciado de forma correta, então adaptam a fonética para a grafia, gerando escritas ainda mais bizarras. Embora nomes estrangeiros, especialmente os ingleses, tenham sido moda e ainda são muito apreciados no Brasil, Ashley é um dos quais eu não recomendaria pela dificuldade de pronúncia e de escrita.

Para dizer a verdade, não me dei ao trabalho de ficar imaginando todas as grafias possíveis do nome que aparecem na lista da Arpen/SP de 2015, mas para citar alguns exemplos, temos Aschley (1), Eshley (3), Heshley (1), mas com certeza deve ter mais. O nome abre muita brecha para estropiações e isso não é nada bom.

Assim, o uso de Ashley no Brasil, mesmo que escrito certo acaba tendo a sofisticação e a elegância perdida em sua totalidade. Imagine uma situação em que uma brasileira chamada Héshley vai morar nos Estados Unidos, Inglaterra ou outro país de fala inglesa, e terá que pegar um King Kong gigantesco todos os dias, por ter o nome Ashley escrito errado. Aqui no Brasil mesmo, muitas pessoas tem preconceito com nome estrangeiro, então é mais prudente evitar o constrangimento desnecessário, inclusive no mercado de trabalho.

Como referências podemos citar Ashley Benson, atriz norte-americana; Ashley Madekwe, atriz norte americana; Ashley Tisdale, atriz e cantora norte-americana.




.