sexta-feira, 11 de março de 2016

Romeo, Donatella e Stefano, o trio italiano e harmônico de Marcos Mion e Suzana Gullo.


.


Marcos Chaib Mion é um apresentador de televisão, ator e empresário brasileiro, sócio da V.Rom. Também é blogueiro do R7, casado com a designer Suzanna Gullo, com quem tem 3 filhos: Romeo, de 9 anos; Donatella, de 5 anos, e Stefano, de 3 anos.

Eu poderia escrever umas 10 páginas de elogios a esses nomes individualmente, imagina combinados, em um trio de irmãos.

Primeiro, o trio de irmãos não rima e não tem a mesma inicial, mas ao mesmo tempo, um encaixa no outro como uma luva!

Segundo, os três nomes são italianos, mostrando que os pais seguiram um padrão temático de escolha memorável!

Terceiro, são nomes chiques, interessantes, raros, exclusivos, sem ter nada de estranhos ou bizarros, muito menos de comuns e populares. Um trio realmente especial!

Quanto ao nome do mais velho, Romeo, já abordamos aqui (junto com a versão portuguesa Romeu). O nome é derivado do latim Romaeus, que significa "um peregrino a Roma", e nomeia também o filho de David e Victória Beckham, que se chama Romeo James Beckham. Além disso, quem resiste a ligação desse nome com o clássico shakespeariano “Romeu e Julieta”?

Donatella também foi abordado aqui. Donatella é um nome italiano, um diminutivo de Donato – a partir do nome latino Donatus, significando “dado” ou “dádiva”. Por interpretação, imagina-se que o significado de Donatella é “dada por Deus”. Uma personalidade atual reconhecida pelo seu talento em nível mundial é a estilista italiana Donatella Versace, da grife Versace. E ainda, uma música da Lady Gaga (feita em homenagem à Versace). Pessoalmente, acho um dos nomes mais lindos e de bom gosto: sempre gostei de nomes longos, da inicial D e, embora geralmente enjoe fácil da terminação “ela/Ella”, adoro a sonoridade forte e marcante que ela dá a Donatella.

E por último, o nome do caçula, Stefano, que abordamos no blog aqui. Stefano é a forma italiana de Estevão, e significa “coroado”. Este foi um importante diácono no Novo Testamento, onde conta (em Atos dos Apóstolos) que ele foi apedrejado até a morte por se recusar a negar Jesus. Ele é considerado o primeiro mártir cristão. A versão italiana carrega mais jovialidade e modernidade do que a versão portuguesa, que tem uma aura mais sóbria, séria, formal. Estêvão também é bem menos internacional, já que carrega dois acentos e ainda tem a terminação “ão”, que é tão complicada para os estrangeiros. Já Stefano não tem acento e a pronúncia de –ano é mais reconhecida. 

Enfim, uma combinação maravilhosa, no mesmo estilo, provando que para “combinar” o nome dos filhos, podemos ir muito além do óbvio, e fazer arranjos realmente surpreendentes. Mesmo sabendo o quanto os famosos ditam moda, as escolhas do Marcos Mion e sua esposa não parecem ter surtido tanto efeito assim, pois de acordo com dados da Arpen/SP e suas listas, temos os seguintes registros:

Romeu, com 34 registros em 2015, e 25 no ano anterior;
Donatella, 5 registros em 2015 e nenhum no ano anterior;
Stefano, 12 registros em 2015 e 15 no ano anterior;

De qualquer modo, Marcos e Suzanna são uma ótima fonte de inspiração. Não significa necessariamente que as pessoas devam copiar o nome dos filhos deles, e sim, inspirar-se na questão do estilo, bom gosto e coerência. 



.