sábado, 26 de março de 2016

Dinis


.

Bem, é óbvio que não usamos Dinis como nome próprio no Brasil, talvez desde o período imperial. Dinis/Diniz é usado aqui, nos dias de hoje, como sobrenome. Seria a variante portuguesa do nome francês Denis, que deriva do grego Dionysios, que está relacionado ao deus do vinho, Dionísio, na mitologia grega.

Dionísio vem do grego Διος (Dios) significando "de Zeus" combinado com Nysa, o nome da região onde o jovem Dionísio teria nascido, filho de Zeus e Semele. De todas as variantes possíveis, a que eu acho mais chatinha é justamente Dinis, por que para mim, Diniz é sobrenome e não um dos mais bonitos.


Variantes: Diniz, Dionisio


Outras línguas: Dion (Africano americano), Dionísio, Dionísio, Dion (em grego antigo), Dionísio (bíblico), Denis (croata), Denis (Checo), Dennis (holandês), Denis, Dennis, Den, Denny, Deon, Dion (Inglês), Denis (francês), Denis, Dennis (alemão), Dionysios (grego), Dionysos (mitologia grega), Dénes (húngaro), Dionisio (italiano), Tenney (Inglês medieval), Denis, Dionisie (romeno), Denis (russo), Denis, Dionýz (eslovaco), Denis (esloveno), Dionisio (espanhol), Denys (ucraniano)


Em Portugal, ele é típico, popular e usual. Ocupa a 18ª posição no Ranking, totalizando 810 registros em 2014. É conhecido por ter sido nome de um rei de Portugal (D. Dinis, o lavrador) e de vários membros da nobreza.



No Brasil, contudo, foi registrado apenas 1 Dinis. Já Denis, a variante francesa, teve 58 registros. Pessoalmente, não acho um nome viável para o Brasil, apesar da popularidade em Portugal. 



.