sábado, 19 de março de 2016

Cosme




Cosme não é um nome que se ouve hoje em dia. Aliás, acho que nunca se ouviu muito, dado que nem mesmo senhores idosos ou homens maduros eu conheço com esse nome. São raros representantes do nome. Não pode ser catalogado como retrô ou vintage, por que não tem uma sonoridade exatamente apreciada hodiernamente.

Cosme é a versão portuguesa do nome Cosmas, com tradição italiana, que deriva do grego Kosmas, que significa “ordem e decência”, valores importantes para qualquer sociedade. Porém, associo imediatamente à palavra “cosmo, cósmico”, ou seja, o universo, a imensidão do espaço, galáxias, estrelas, enfim. Cosmo é o equivalente anglófono do nome Cosmos.

Aqueles ligados com a astrologia, o esoterismo, o universo, natureza, energias cósmicas e toda essa questão, podem ficar indiferentes ao nome Cosme? Ele se encaixa na descrição de um nome misterioso e desconhecido, há uma mística em torno dele, que leva a apreciá-lo e classificá-lo como gótico, no sentido da arte medieval. Cosme poderia ter sido um rei ou um templário.

Na verdade, a sua variante Cosimo, foi nome de um Médici, governador de Florença (Itália), e o verdadeiro nome do Papa Inocêncio VII. 

São capazes também de se lembrar da história de Cosme e Damião, os gêmeos santificados pela Igreja Católica, que nasceram na zona da Arábia, onde aprenderam a arte da medicina, tornando-se os médicos mais habilidosos do Mundo Antigo. Instalaram-se na zona da Síria para praticar a sua ciência a troco de nada, só lhes importava o bem-estar das pessoas que lhes recorriam e hoje em dia são padroeiros dos médicos.

Outras variantes do nome podem ser citadas: Côme (francês); Cosmas, Kosmas (grego); Kuzman (búlgaro); Cosmo (inglês); Cosimo, Cosma (italiano); Cosmin (romeno); Kuzma (russo). 


.