segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Eugênia




Esse nome pode parecer problemático por conta do conceito de Eugenia, proposta de seleção de determinados grupos humanos com base em suas características físicas, que é preconceituosa.

Porém, Eugenia também é um gênero de plantas da família das mirtáceas.

Tecnicamente, é a forma feminina do nome Eugênio, que deriva de Eugenius, a forma latina do nome grego Ευγενιος (Eugenios), que foi derivado da palavra grega ευγενης (Eugenes) significando "bem nascido". Ela é composta dos elementos ευ (eu) "bem" e γενης (genes) "nascido".

Foi levado por uma santa semi-lendária do século III que teria escapado da perseguição, disfarçando-se como um homem. O nome foi encontrado ocasionalmente na Inglaterra durante a Idade Média, mas não foi usado regularmente até o século XIX.

Quanto à pessoas, podemos citar Maria Eugênia Boaventura (professora de literatura da Unicamp), Maria Eugênia Monteiro Barros (condessa de Monteiro Barros), Eugênia da Suécia (princesa da Suécia e da Noruega) e Eugênia Anna Santos (religiosa).

Santa Eugénia (português europeu) ou Santa Eugênia (português brasileiro) é o nome originalmente associado à santa e mártir cristã Eugênia de Roma, mas pode referir-se a diversos outros contextos, direta ou indiretamente relacionados ao original.

Eugênia Álvaro Moreyra (6 de março de 1898 — 16 de junho de 1948) foi uma jornalista, atriz e diretora de teatro brasileira. De personalidade anticonvencional e transgressora, foi uma das pioneiras do feminismo e uma das líderes da campanha sufragista no país.

Na lista da Arpen/SP de 2014, não houve registros do nome Eugênia em todo o estado de São Paulo. Na mesma lista de 2015, foi apenas uma menina registrada com esse nome. 


.