terça-feira, 29 de setembro de 2015

Franciele





Franciele (também encontrado em várias outras grafias como Francieli, com ou sem acento, Francielly, etc.), lamentamos informar, é um nome inventado. Não se sabe ao certo como ele surgiu, mas provavelmente apareceu por conta de alguma junção de Francisco com outro nome, talvez uma variante de Francine. 

De qualquer forma, é certo que surgiu com o elemento "Franci" que pode ser entendido como uma variante de Francisco que quer dizer "Francês". Foi uma invenção, entretanto, que pegou: na geração nascida nos anos 70 e 80 existem muitas mulheres com esse nome.

Uma variação interessante seria Franciela, partindo do princípio que a terminação "ela" sempre é mais sonora. 

Embora o nome tenha sido popular em outras décadas, ele não foi totalmente deixado de lado. Em São Paulo, segundo dados da Arpen/SP, no ano de 2014, foram registradas 52 meninas chamadas Francielly, 25 chamadas Franciele e 16 chamadas Franciely.


Franciele, segundo o IBGE (Nomes no Brasil, Censo 2010), é o nome de 111.831 pessoas no Brasil, o que faz dele o 146º nome feminino mais usado no país ao longo do período da pesquisa. Mais de 58 mil delas, nasceram nos anos 90. A grafia Francieli é o nome de 34.960 pessoas e coloca essa forma de escrita no 399º lugar. 

Temos ainda a forma de escrita Franciely, com 3.767 pessoas; Francielly, 3.563 pessoas; Francielle, 7.246 pessoas; Francielli, 2.176 pessoas; Somando todas as grafias diferentes, temos 163.543 mulheres chamadas Franciele no país, considerando pessoas vivas entrevistadas pelo Censo 2010. 

Das grafias terminadas em "ela", temos 1.455 mulheres chamadas Franciela e 28 Franciella. Então, se você gosta desse nome, pode gostar de saber que é a grafia mais rara e original. 

O apelido mais comum é Franci, ou até mesmo Fran. 

Embora tenha sido inicialmente uma invenção, temos vários outros nomes que são junções de nomes comuns ou masculinos com o sufixo "elle/ella". Deste modo, assim como Daiana, no Brasil, Franciele já adquiriu status de nome legítimo. 

Entretanto, desaconselha-se o uso do Y nesse caso. Da mesma forma que Francieli - com "i" no final - também é desaconselhável pois a letra "i" por último puxa acento, e poderia-se ler Francielí.

Em se tratando de referências, podemos citar: 1) Francielle Manoel Alberto, jogadora de futebol brasileira; Franciely Freduzeski, atriz e modelo brasileira, conhecida pelo papel de Dona Tetê, do quadro "Dá uma subidinha" do Programa Zorra Total; Franciela Krasucki, atleta brasileira especializada em provas de velocidade; 


By



.