sábado, 25 de julho de 2015

Francesca





Forma feminina italiana – também usada na Catalunha – de Franciscus, do latim, que significa “Francês”. Tem como variante o nome Franca (italiano) e suas formas masculinas mais conhecidas são Francisco (português), Francesc (catalão), Francesco (italiano). Também podem ser listados as diversas variações de Francesca em diferentes idiomas:

Outros idiomas: Frantziska (basco) Frañseza (Breton), Franka (croata) Františka (Checo), Francis, Cissy, Fannie, Fanny, Fran, Francene, Frances, Francine, Frankie, Frannie, Franny, Sissie, Sissy (inglês ), Fanni (finlandês), Françoise, Fanny, França, Francette, Francine (francês), Franziska, Franze, Franzi, Ziska (alemão), Franciska, Fanni, Franci (húngaro), Francisca (Late Roman), Franciszka (polonês) Francisca, Chica (Português), Frangag (escocês), Franciska, Francka (esloveno), Francisca, Fanny, Paca, Paquita (Espanhol)

Para mim, um nome bonito, rico em história e elegante no som. Segundo o Nomix.it, Francesca foi o 15º nome mais registrado na Itália no ano de 2014. Ou seja, na Itália é super popular.

No Brasil, é razoavelmente apreciado. Infelizmente há alguns problemas na escrita: para que os brasileiros pronunciem corretamente, os pais optam por escrever Frantchesca, Franchesca ou até Frantiesca.

Em território brasileiro, não há problema de estranhamento: somos acostumados aos mais variados nomes italianos, afinal nossa sociedade foi constituída com base na imigração européia, e a Itália foi o país que mais enviou imigrantes para cá. Então, não temos a preocupação de que Francesca pareça demasiado étnico para o Brasil.

Evidentemente existem alguns nomes ao redor do mundo, que simplesmente encaixam-se apenas na etnia da qual originaram-se. Em alguns casos, como Scarlett da Silva, por exemplo, fica bastante estranho (um nome inglês + um sobrenome tipicamente português), no entanto, Francesca cabe bem com qualquer sobrenome, então, não necessariamente a criança precisa ter um sobrenome italiano para poder usar o nome.

Há uma tendência em círculos mais eruditos no Brasil de afirmar que as pessoas devem conectar-se mais com as suas próprias origens: país de língua portuguesa, usa-se nomes tipicamente portugueses, ao invés de adotar nomes de culturas desconhecidas. Entretanto, no Brasil, a cultura italiana pode ser tudo menos desconhecida.

Logo, usar Francesca não será motivo de estranhamento tal qual usar um nome indiano ou vietnamita. Já em Portugal, onde existe a Lista de Admitidos no país e onde as tradições são mais fechadas, usar um nome estrangeiro é um pouco mais complicado. Ainda assim, é válido, afinal, que graça teriam as transformações se não existissem tradições para serem transformadas?

Por último, e com não poderia faltar, uma referência literária: Francesca Rimini está na obra O Inferno de Dante, apaixonou-se pelo seu irmão Paolo. Os dois foram descobertos e assassinados por seu marido, e são punidos no inferno pelo pecado da luxúria. Francesca e Paolo são considerados o equivalente de Romeu e Julieta.




By





.