sábado, 6 de junho de 2015

Cauã

.


O nome Cauã é de origem tupi (indígena) e quer dizer “gavião”. É frequentemente usado na grafia Kauã.  Constitui-se em uma moda entre os brasileiros nos últimos anos, talvez pela popularidade do ator Cauã Reymond.

É o 28º nome no Ranking dos mais usados em 2014, mas caiu consideráveis 9 posições em relação ao ranking de 2013. Pode ser um sinal que a modinha está passando.

No Estado de São Paulo (ARPEN/SP, 2014) tivemos o registro de 748 meninos com o nome Cauã e 1475 com a grafia Kauã. Parece que o povo brasileiro prefere com K. 

E pasmem: 2521 meninos com a grafia Kauan, mais é claro, os 91 meninos com a grafia Cauan. Que francamente, não muda a forma como os pais pronunciam o nome, mas para mim muda: Cauã eu digo com o à bem pronunciado, enquanto Cauan eu digo com o primeiro A aberto (Cáuan). Ou seja, gera dúvidas não só na escrita quanto na pronúncia do nome da criança em questão.

Cauã consta na lista portuguesa de nomes aceites e não aceites, porém, não é permitido: ou seja, alguém tentou fazer um pedido de aprovação, mas foi barrado. O mesmo aconteceu para Kauã.

Então, podemos tirar uma prévia conclusão disso: nossos amigos portugueses até tem a intenção de usar um nome de origem indígena predominantemente usado no Brasil, porém, os órgãos do governo entenderam que não.

Ainda assim, no território português foram registrados 8 meninos com o nome Kauã (sem compostos) e 11 meninos Cauã, sem compostos, 2 Kauan e 1 Kauãn, além de vários compostos de Cauã + um nome tradicional (Cauã Pedro, Cauã Mateus, etc.), talvez uma tentativa de equilibrar um nome “exótico” com um tradicional.

Ter dupla nacionalidade ou casar-se com um estrangeiro parece ser a única forma de driblar a lista de nomes permitidos em Portugal.

Simpatizo com o nome Cauã, mas não usaria em um filho. O motivo? Parece-me um nome muito adequado a um bebê fofinho e com covinhas, ou a uma criança engraçadinha e simpática. Mas o nome não cresce junto com a criança, e quando adulto, tenho dificuldades em imaginar um Doutor Cauã ou um vovô Cauã.

É um nome que é tão leve e tão alegre que torna-se totalmente infantil. A pessoa vai crescer e amadurecer, envelhecer e continuar com um nome infantil. E mesmo conhecendo o ator (lindo) Cauã Raymond, que já está na casa dos 30 anos, não consigo dissociar Cauã de um bebê gorduchinho.


Mas essa é uma questão de gosto pessoal. Há pessoas que procuram justamente por nomes leves e alegres que passem uma sensação eterna de infância, e para esses pais, que desejam esse tipo de nome, Cauã é perfeito. 

Também tem meu respeito por ser um nome indígena. Na minha opinião, nós brasileiros precisamos resgatar nossas origens indígenas e africanas e usar nomes dessas origens é um bom começo. Afinal, valorizamos tanto a cultura alheia e não desenvolvemos o hábito de potencializar a nossa. 

Um fator que desabonou bastante foi a "invenção" de um feminino para Cauã, simplesmente acrescentando o sufixo "ane", que não existe na língua tupi: o resultado foi o bastante popular Kauane, Cauane (e outras grafias). Acrescentar Ane a um nome que significa "gavião" em tupi não faz com que o nome mantenha o mesmo significado, nem faz que ele absorva toda a origem indígena. 

Ou seja, Kauane não tem origem indígena, não significa "Fêmea do Gavião" e muito menos tem a mesma conotação que Cauã. Passa a ser somente mais um nome inventado, mas que caiu no gosto da população. 


By










.