sábado, 21 de outubro de 2017

Noelani

.


Não. Não é um feminino do nome Noel. É um nome feminino havaiano que significa “névoa celestial”, ou talvez “Orvalho celestial”, a partir da combinação dos elementos noe (névoa) e lani (céu). O elemento “lani” está presente em muitos nomes havaianos, como Leilani, Kailani, etc.

Além de ser um belo nome em termos de fonética e escrita, ainda tem um significado legal. Como um todo, gosto de nomes havaianos pela vibração positiva e feliz que eles passam.

No filme "Um Dia Depois de Amanhã" há uma parte onde uma personagem fala sobre um furacão e se você ouvir atentamente você vai perceber que dizem Noelani, bastante irónico, uma vez que significa névoa celeste.

Nos dados do IBGE não temos nenhuma informação sobre Noelani, porém, há 25 pessoas chamadas Noelane, uma alteração de grafia, possivelmente, ou então, uma tentativa de fazer um feminino para Noel que acertou num nome polinésio.

Na lista da Arpen/SP não temos nenhuma menção à Noelani. Já nos Estados Unidos, foram 77 registros de meninas chamadas Noelani no ano de 2015, segundo a lista da Social Security. 

Seria um nome interessante para uma irmã de Manoela, uma vez que os dois nomes compartilham "noela", um do início e outro no final: Manoela & Noelani. 

Noelani Pantastico, nascida em 1980 na ilha de Oahu, Havaí, é uma bailarina americana, que dança na Pacific Northwest Ballet em Seattle. 



A bailarina Noelani Pantastico. 






.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Um post em referência às (outras) Xuxa's do Brasil

.

"Sim, mas é apelido", todos dirão. E eu concordo. Xuxa foi o apelido dado à apresentadora quando ela era ainda um bebê, pelo seu irmão Bladimir (isso mesmo, não é Vladimir não, é Bladimir). No caso, como todos sabem, o nome da Xuxa é Maria da Graça, devido à uma promessa religiosa de sua mãe. Porém, foi o apelido que pegou.

Em 1988, após sentença judicial, a apresentadora incorporou seu apelido ao nome completo, ficando Maria da Graça Xuxa Meneghel. Bem, Xuxa não chega nem perto de ser o seu nome, sendo um apelido carinhoso de infância que acabou sendo adotado como nome artístico. 

Porém, o que chamou atenção numa das minhas pesquisas mais recentes, foi que no IBGE (Nomes no Brasil, Censo 2010, para quem quiser conferir no próprio site), tem 57 pessoas chamadas Xuxa, das quais 48 são mulheres e 9 são homens. Aí podemos supor que as 48 mulheres receberam o nome Xuxa em homenagem à apresentadora, e os homens ao nadador Xuxa, que na verdade se chama Fernando Scherer. 

Ou então, uma tremenda sacanagem dos pais com os filhos (as). Como o número de pessoas é pequeno, o IBGE não disponibilizou gráficos sobre o estado onde essas pessoas nasceram e nem a década de maior número de nascimentos. 

Importa dizer que existem 57 pessoas chamadas Xuxa, no Brasil! E não é apelido, é o nome, lá na certidão de nascimento, no CPF, na Identidade, no Título de Eleitor, não é realmente incrível?

Acredita-se também que pode haver a possibilidade de o entrevistado ter respondido o apelido ao recenseador e este, com a cabeça no mundo da lua, ter registrado o apelido ao invés do nome próprio. Porém, que ser humano responde à pergunta "Qual seu nome?", com o apelido? 

Há quem relate que Xuxa também é um nome bastante usado nos países africanos de língua portuguesa, por conta da influência da televisão. Não tenho dados sobre isso, portanto, não posso confirmar a informação. 

Com essa constatação, cabe a pergunta: mas afinal, o que é uma Xuxa?

Para minha consternação, sou de uma cidade que fica do ladinho de Santa Rosa, a cidade natal da Xuxa. Aqui, chamamos de "Xuxa" ou "Xuxinha" os rabicós ou elásticos para cabelo, ou então o penteado conhecido em outros lugares do Brasil como "maria-chiquinha". Suponho então que era a isso que o irmãozinho se referia quando pôs o apelido. Esse significado, porém, pode variar muito conforme a região do Brasil. 

O Dicionário de Nomes Próprios inovou bastante na sua interpretação: segundo esse site, Xuxa é um apelido eslavo para o nome Susana - que significa "lírio", assim, Xuxa significaria "pequeno lírio". Sobre isso, Shamaim esclarece:


Quando você joga Xuxa no Behind the Name, ele entende Zsusza, esse sim um apelido húngaro (não eslavo - o húngaro não é uma língua eslava) de Susana. Ou Xosé, forma galega de José... O menos seletivo Thinkbabynames registra o seguinte absurdo: "Nickname for Susana used by the hostess of a very popular children's TV show in Brazil."... Como se a Xuxa se chamasse Susana!

Claro que essa postagem está sendo feita a título de informação, não de aconselhamento, portanto, não queremos que você coloque o nome Xuxa no seu filho(a)! Ok? 


.




.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Jael

.


Um nome singelo, e exatamente por isso, tão perfeito. E com um uso totalmente subestimado no Brasil.  Jael é um nome feminino bíblico, do hebraico יָעֵל (Ya'el) que significa "cabra selvagem" ou “cabra das montanhas”. As vezes esse significado é debatido, pois o elemento “el” em hebraico também significa “Deus”.

Este nome aparece no Antigo Testamento pertencente à esposa de Heber, o queneu. Depois que Sísera, o capitão do exército cananeu, foi derrotado em batalha por Deborah e Barak, ele se refugiou na tenda de Heber. Quando ele adormeceu, Jael o matou martelando uma estaca na cabeça.

Outras línguas: Iael (grego bíblico), Yael (hebraico bíblico), Iahel (latim bíblico), Yael (hebraico)

Nos Estados Unidos, Jael esteve no top 1000 feminino até 2012, quando ficou na 990ª posição. Na Suíça ele consta no ranking mais recente, 2014, na 60ª posição.

Uma referência é Jael de Pardo, uma atriz de televisão americana nascida na Colômbia. Quando ela tinha dois anos, sua família se mudou para Nova York. Há também, Jaël, cantora e guitarrista suíça. 




.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Juno

.


Este é, para mim, um nome controverso. Juno na verdade é, originalmente, um nome feminino. Entretanto, por conta da terminação tradicionalmente masculina na língua portuguesa, e talvez pela familiaridade com a palavra “junho” (cujo gênero é masculino) e o nome Junior, só consigo vê-lo como um nome para um menino. Assim, ortodoxamente falando, trata-se de um nome feminino, mas para quem (como eu), tem suas elasticidades e ecletismos quanto se trata de gênero, pode conceituar como nome unissex.

Posso argumentar: Jessica e Elisama eram nomes masculinos na Bíblia. Kelly era um sobrenome. Hoje são amplamente usados aqui e fora do Brasil como nomes femininos. Ariel também é um nome masculino hebraico e tem sido usado amplamente como nome feminino desde a Pequena Sereia (Disney). Deste modo, o fato de Juno ser o nome da deusa romana não impede de usarmos como um nome masculino no Brasil, uma vez que a terminação é bastante masculina.

E mais: Nos Estados Unidos, há uma série de nomes que servem tanto para menino quanto para menina, e parece ter se generalizado uma moda de usar nomes de garoto para garota e vice-versa.

Na Mitologia Romana, Juno era a deusa-mãe, esposa de Júpiter, cujo nome tem significado desconhecido. É análoga à deusa Hera na mitologia grega. Provavelmente a origem relaciona-se ao indo-europeu, que significa “juventude”, ou ainda, pode ser de origem etrusca (os nomes etruscos nunca tem significado conhecido). A deusa Juno era protetora do casamento e das mulheres, e para os romanos, também era a deusa das finanças. Quando assumimos o significado como “a jovem”, podemos apontar que o significado é análogo à Hebe, Owen e Juvenal.

As variantes são Iuno, Iunia, Junia (antiga Roma), Junia (Bíblia), Iounia (grego bíblico), Junono (esperanto), Junon (francês), Junona (polonês). June, um nome feminino razoavelmente popular em língua inglesa é, acredita-se, uma derivação de Juno.

Como referências femininas temos a atriz inglesa Juno Temple e a nadadora medalhista olímpica americana Juno Stover-Irwin. Na arte, temos Juno Eclipse, uma personagem de Star Wars, e Juno MacGuff, uma personagem do filme “Juno” (2007), do diretor Jason Reitman, interpretada pela atriz Ellen Page. Shakespeare também usou o nome Juno para um personagem na sua peça “A Tempestade”.


A personagem Juno interpretada pela atriz
Ellen Page (filme de 2007)


Como referência masculina temos o ator e cantor Junno Andrade, grafado assim, com dois “n”, namorado da apresentadora Xuxa Meneghel, que na verdade sustenta o nome artístico (seu nome verdadeiro é Ari).


O ator e cantor Junno


Trata-se de um nome bem popular entre bebês e crianças na Holanda: No ano de 2014, o nome Juno ficou no 390º lugar na lista de nomes femininos mais usados nesse país.

Analisando os registros no Brasil, percebemos que por aqui, apesar de ter pouquíssimo uso, ele é predominantemente masculino. Das 211 pessoas que assim se chamam, segundo o IBGE (Nomes no Brasil, Censo 2010), 194 são homens. Eles nasceram todos entre os anos 70 e 90, com maior número de registros no final dos anos 90, o que sugere que os pais tenham inspirando-se no cantor Junno, cujo auge da carreira foi nessa época.

Em termos de listas recentes, temos um nascimento de Juno no estado de São Paulo no ano de 2015, segundo a Arpen/SP, mas como essa lista não separa por sexo, não temos como saber se é uma menina ou um menino.  

Assim sendo, podemos fazer uma reflexão em cima do nome Juno: bem, é feminino? É. Tinha uma deusa romana chamada Juno, ou pelo menos assim transliteramos para o português. O nome tem uma vibe mais masculina do que feminina na língua portuguesa? Tem. A maioria dos nomes terminados com “o” são masculinos, e por isso Juno cai bem para um menino brasileiro.

Quem teria mais problemas se chamando Juno, um menino ou uma menina? Acho que uma pessoa leiga em termos de nomes, e que não faz ideia de coisa alguma sobre mitologia grega, lê Juno numa documentação e pensa automaticamente em um homem. Porém, essa é só a opinião de uma blogueira que pode facilmente ser contestada, afinal, os meios de comunicação estão aí e hoje as pessoas estão muito mais bem informadas.

Enfim, cabe aos pais decidirem: Se eu fosse usar Juno, seria para um garoto. De todo modo, o nome Juno tem o benefício de ser bem neutro com relação a sexo, uma opção que muitos pais tem procurado hoje em dia, procurando facilitar a vida do filho(a) no caso de, no futuro, este possuir outra identidade de gênero que não seja exatamente a biológica.




.


terça-feira, 17 de outubro de 2017

Nirvana

.

O Nirvana, segundo o Behind The Name, em antigo persa, significa o estado de consciência absoluta, ou espírito puro. No Budismo, Nirvana é o estado de libertação do sofrimento, uma superação do apego aos sentidos, do material e da ignorância, tanto como a superação da existência, pureza, transgressão ao físico, a qual busca a paz interior e a essência da vida.

A palavra significa literalmente "apagado" (como em uma vela) e refere-se, no contexto budista, a imperturbável serenidade da mente após o desejo, a aversão e a delusão terem sido finalmente extintos.

Sidarta Gautama, o Buda, ou na maioria das tradições budistas, descreveu o Nirvana como um estado de calma, paz, pureza de pensamentos, libertação, transgressão física e de pensamentos, a elevação espiritual, e o acordar à realidade. O Hinduísmo também usa Nirvana como um sinônimo para suas ideias de moksha e fala-se a respeito em vários textos hindus tântricos, bem como na Bhagavad Gita. Os conceitos hindus e budistas de Nirvana "não devem ser considerados equivalentes".

Entretanto, não é o conceito budista ou hinduísta o que mais disseminou o nome Nirvana no mundo e sim, uma certa banda super famosa: Nirvana foi uma banda estadunidense de rock, formada pelo vocalista e guitarrista Kurt Cobain e pelo baixista Krist Novoselic em Aberdeen no ano de 1987.
Segundo a Revista Mundo Estranho, Nirvana é:

"É um conceito básico da religião budista e a meta máxima da prática espiritual dos seus seguidores. "O nirvana é um estado de paz e tranqüilidade alcançado através da sabedoria", diz a monja Coen Murayama, da Comunidade Zen-Budista de São Paulo. A palavra nirvana vem de nibbana, que quer dizer "extinguir, apagar" em páli, uma língua morta parecida com o sânscrito. Dentro do budismo esse conceito pode ser usado em várias situações, como para designar a morte. Costuma-se dizer, por exemplo, que Buda, o fundador da religião, entrou em pari-nirvana, ou na tranqüilidade final, ao deixar sua vida terrena. Os budistas também acreditam que quando uma pessoa chega ao fim do samsara - existência cíclica de renascimentos e sofrimentos a que todos os seres estão sujeitos - ela alcança o nirvana.

Para chegar a esse estado de total paz interior, os praticantes da religião se dedicam à meditação e buscam seguir no dia-a-dia vários ensinamentos que se caracterizam pela correção do modo de vida, como ser ético, paciente e generoso."

No Brasil, são 375 pessoas chamadas Nirvana, de acordo com o IBGE, com destaque para o Amazonas. O uso começou nos anos 50 e tem sua maior frequência nos anos 2000 (Nomes no Brasil, Censo 2010).

Não encontrei referências de pessoas famosas com esse nome, mas é possível encontrar várias Nirvana’s pesquisando no Facebook e no Google. 



.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Inga

.

Inga é uma variante do nome Inge, um nome unissex usado entre escandinavos, alemães e holandeses. Há ainda as variantes Inka e Inkeri (finlandês) e Ingi (norueguês). Trata-se de um diminutivo de todos os nomes alemães e escandinavos começados com o elemento Ing, outro nome do deus Yngvi, que dá origem a nomes como Ingolf, Ingemar, Ingeborg e Ingrid.

Além disso, também é uma palavra usada para designar um povo: O povo indígena Inga [inka] ou Ingano é um grupo quéchua, situado em áreas mais ao norte da região quéchua. Os Ingas falam diferentes dialetos do quíchua, que é também falada no Equador e no Peru.

Não suficiente, também é um termo chinês usado no budismo: Inga (coreano: 인증), termo usando no zen budismo, equivalente ao japonês inka para denotar um alto nível de certificação;

Esse nome esteve no ranking feminino dos Estados Unidos até o ano de 1914, depois não mais voltou a integrar o top 1000. Segundo o Behind The Name, é um nome popular na Polônia, onde ocupou o 88º lugar na lista feminina divulgada em 2014.

No Brasil é um nome bastante desconhecido, segundo o IBGE, há apenas 131 pessoas com o nome Inga, com mais frequência para o Rio Grande do Sul, sendo que todas elas foram registradas entre os anos 1930 a 1950. Na lista da Arpen/SP e outras listas recentes não há nenhuma menção ao nome Inga, apenas uma Ingaly.

Como referências, temos a cantora armena Inga Arshakyans, uma atleta ucraniana chamada Inga Babakova, uma modelo finlandesa com o nome de Inga Britt Söderberg, e por fim, Inga Lindström, pseudônimo de Christiane Sadlo, roteirista e escritora alemã. 




.

Irena

.

Irena é um nome feminino, usado principalmente em países de línguas eslavas. É uma das variações do nome Irene, que origina-se no grego e significa “paz”. Uma das principais representantes do nome é a polonesa Irena Sendler, que foi ativista de direitos humanos durante a Segunda Guerra Mundial, salvando milhares de pessoas dos nazistas.

Vem da palavra grega εἰρήνη (eirene), que significa "paz", "tempo de paz"; compartilha a etimologia com o nome masculino Irineu e é significativamente semelhante a muitos outros nomes, como Pace, Concordia, Mira, Frida, Shanti e Salomé.

Deve-se notar que na mitologia grega, Eirene é o nome da deusa da paz, uma das Horas, juntamente com Dike e Eunomia. O nome foi adotado pelos primeiros cristãos em referência à “paz dos irmãos em Cristo” e “paz celestial”, também sendo trazido por numerosos santos, ao que se deve a sua boa difusão, em várias línguas e em vários países distintos.

O nome foi comum no Império Bizantino, e em geral, sempre popular no Oriente Cristão. Em inglês, o nome não se tornou comum até o século XIX.

Diminutivos: Irenka (Polonês), Irenka (Checo), Ena (Croata)

Outras linguagens: Eirene, Irene (grego antigo), Irina (Bulgária), Irene (Dinamarquês), Irene (Inglês), Irene, Irina, Arja, Erja, Irja (Finlandês), Irène (Francês), Iria (Galícia), Irina, Irine (Geórgia), Irene (Alemão), Eirene, Irene (Mitologia Grega), Irén (Hungria), Eireen (Irlanda), Irene (Italiano), Irina (Macedônia), Irene (Noruega), Irene, Iria (Português), Irina (Romênia), Irina, Arina, Arisha, Ira, Irinushka (Rússia), Irene (Espanhol), Irene (Sueco), Iryna (Ucrânia);

No que diz respeito ao Brasil, há 2.834 pessoas chamadas Irena, com destaque para o Rio Grande do Sul, possivelmente onde a imigração polonesa foi mais forte, pois do total delas, 1.469 são gaúchas, além de 286 em Santa Catarina e 289 no Paraná. Ou seja, praticamente todas no Sul. A esmagadora maioria delas nasceu nos anos 40, ou seja, estão na casa dos 70 aos 80 anos.

Não temos dados de Irena em nenhuma lista recente do Brasil, ou seja, é um nome bonito, melodioso, com significado legal e tem o benefício de ser absurdamente original.

Nos Estados Unidos, Irena só entrou no top 1000 até 1893, ou seja, no século passado. Na República Checa, Irena esteve no ranking feminino até 2002 na 98ª posição. Supõe-se que ainda seja popular já que a República Checa só divulga a lista até o 100º nome mais usado.


Referências:

Irena Conti Di Mauro, jornalista, poetisa e escritora polonesa;
Irena Iłłakowicz, patriota e militar polonesa;
Irena Sedlecká, escultora checa;
Irena Szewińska, ex-velocista polonesa;
Irena Więckowska, nadadora polonesa;
Irena Dubrovna - a personagem protagonista do filme "Sangue de Pantera";
Irena era o nome da mulher gato no filme de 1942, interpretada por Simone Simon. 




.